Seguir por e-mail

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Poema - Alunos de Criatividade


Para provar aos alunos que o trabalho de criar não é tão difícil assim,

Resolvi fazer um poema sobre o que vocês significam pra mim.

Não se assustem, podem ouvir, desta vez bronca não vou lhes dar.

O que tenho pra lhes falar é algo que meu coração não consegue calar.

São momentos da nossa história que vou guardar sempre na minha memória.

Primeiro ano de Publicidade e em plena sexta-feira aula de criatividade.

Quem quer saber de processos cognitivos se na sexta-feira tudo que se ouve são os buchichos.

Das festas do final de semana, das gatas e gatos que são tão bacanas,

Dos porres que estão querendo tomar, Sangue de Boi, ah sim já ouvi falar.

Uma turma ousadíssima, mas que infelizmente não conhece medida.

E por isso não consegue diferenciar, a hora de brincar da hora de estudar.

A professora aqui já perdeu o prumo, e num rompante derrubou o mundo.

Num só grito se fez escutar, e ai daquele que não quisesse calar.

Com os olhos fixos e as mãos trêmulas não parou de falar, das coisas que em sua garganta insistiam em engasgar.

Vocês naquele momento pareceram entender, que na verdade o que eu queria era apenas lhes dizer,

Que mais vale uma sexta de estudos, do que o resto da vida sem se quer compreender,

Que o mundo lá fora parece divertido, que muito tem a lhes oferecer.

Mas que na verdade são mais cobranças, de competências que terão que ter.

Não pensem que me esqueci daqueles que quietos viveram aqui,

Ouvindo tudo o que eu queria falar sem nem ao menos reclamar,

Da bagunça de toda a sala que nunca para de falar.

A vocês que há muito já perceberam a responsabilidade que é estudar,

Aqui em público lhes parabenizo pela difícil arte de escutar.

E ainda não acabou o que a todos tenho pra dizer,

Apesar de algumas mágoas, o que levo desta sala são mais momentos de prazer.

De poder dividir com vocês o que a educação e a vida me fizeram compreender.

Que as pessoas muito mais são, do que aparentam ser.

São pessoas diferentes, que podem ser divergentes, mas que no fundo no fundo são almas carentes.

De um amor incondicional, que todos sabemos que é ideal, num relacionamento entre uma professora e seus alunos, em qualquer lugar do mundo.

Amo você não pelo que são pra mim, mas pelo que são pra si.



Homenagem que fiz aos alunos de Publicidade e Propaganda 1º ano de 2010 - Fema Assis-SP, no último dia de aula da disciplina Criatividade e Processos Cognitivos.