Seguir por e-mail

Jogos e Dinâmicas de Grupo

Aqui serão postados recomendações de exercícios para seleção e treinamento. Utilizados e recomendados pelas profissionais do Psicorienta.
___________________________________________________________

Testando a Proatividade (Postado em 02/02/2011)

Objetivos: Testar e trabalhar a proatividade dos participantes.


Tempo: 30 minutos

Publico: grupo conhecido pelo facilitador de outros encontros ou atividades, com número de participantes indeterminado.
Material: 1 Papel A4 para cada participante, canetas, lápis de cor, giz de cera e canetinhas.

Procedimento da Técnica: Entregar uma folha A4 e canetas aos participantes e deixar em uma mesa vários lápis de cor, canetinhas, giz de cera.
Dizer: Nessa folha em branco vocês deverão fazer um AUTO-RETRATO, como vocês são? Como vocês se vêem? Não se importem com os talentos artísticos, o importante é que você consiga mostar quem você é com capricho. Para isso vocês podem utilizar os materiais que estão em cima da mesa.
Dar alguns minutos até que todos terminem (o tempo aqui será determinado pelo facilitador) e solicitar um a um que mostrem seus desenhos aos demais sem justificar ou esclarecer, apenas apresentar. Terminando o facilitador deve demonstrar irritabilidade, stress e então recolher todos os desenhos bem estupidamente e rasgar todos dizendo: Olha!!! Sinceramente, estão péssimos... parece desenho de criança, rabisco... O que é isso!!! Eu estou aqui me esforçando ao máximo, tentando ensinar alguma coisa de bom a vocês e olha isso, nem um desenho vocês sabem fazer!!! Ficam aí com essas caras de bobos... desmotivados... desse jeito não dá!!!
O facilitador deve tentar tirar os participantes do sério e depois de um tempo de discussão contar que tudo é uma brincadeira para testar a proatividade deles. A capacidade que eles tem de contar até 10 antes de enfrentar uma briga com um amigo, chefe, cliente.
Discutir sobre as dificuldades de não reagir em uma situação como essa, o que as pessoas costumam fazer, etc.

Obs.: Técnica adaptada por Danielle Cristina Ferrarezi Barboza, apresentada por Marcos Anibal e com autor Desconhecido.
_________________________________________________



Se eu fosse... (Postado em 15/01/2011)

Objetivos: Quebrar o gelo; apresentar os participantes de forma descontraída e lúdica e identificar características pessoais de candidatos a vaga de emprego.

Tempo: de 30 a 45 minutos para grupos de até 20 pessoas

Público: de 10 a 40 pessoas que estão iniciando um grupo e não se conhecem muito bem ou para pessoas em processo de seleção.

Material: Papeis pequenos dobrados contendo palavras: ANIMAL, FRUTA, FLOR, INSTRUMENTO MUSICAL, COR, ÁRVORE, OBJETO, CARRO, ESPORTE, COMIDA, BEBIDA, LUGA, ETC. e um saco para o sorteio dos papeis.

Procedimento da Técnica: Escrever em papeis cortados: ANIMAL, FRUTA, FLOR, INSTRUMENTO MUSICAL, COR, ÁRVORE, OBJETO, CARRO, ESPORTE, COMIDA, BEBIDA, LUGA, ETC. conforme o número de participantes, podendo repetir as palavras ou acrescentar outras que se encaixem no exercício.
Entregar um papel para cada participante em sorteio e pedir para que leiam, mas não se manifestem nem contem a palavra retirada.
Explicar que as pessoas deverão se apresentar ao grupo dizendo o NOME, CARGO, TEMPO DE SERVIÇO NA EMPRESA, ESTADO CIVIL, FILHOS, FORMAÇÃO, TRABALHOS JÁ REALIZADOS, INTERESSES... (o que for de importante para grupo ou seleção) e então dizer SE EU FOSSE UM(A)... (palavra retirada) QUAL SERIA E POR QUÊ? (deixar as instruções numa folha de flipchart ou slide).
Ex.: Um participante retirou a palavra FRUTA. Ele irá escolher uma fruta que tem relação com suas características físicas e ou psíquicas: "Maçã, porque é uma fruta que as pessoas sempre encontram quando procuram, que as pessoas gostam, que é vermelha e eu fico vermelha em determinadas situações, etc". O facilitador deverá questionar quando o participante não for claro em sua apresentação.

Avaliação da Técnica: Se a técnica for usada em processos de seleção, deve-se analisar a forma como o participante se comunica, se comporta, é importante anotar as informações dadas pelos participantes e observar as características apresentadas diante da palavra retirada, como o participante se vê pode mostrar quem ele realmente é, suas qualidades e defeitos, contribuindo assim para a Entrevista Individual.
Autor da Técnica: Danielle Cristina Ferrarezi Barboza

____________________________________________________

Técnica de Brainstorming

Objetivo: Gerar em curto prazo uma grande quantidade de idéias sobre um assunto a ser resolvido ou um projeto a ser elaborado.

Tempo: 30 a 60 minutos (dependendo da complexidade do assunto)

Material: Folhas de Flipchart ou projetor multimídia, caneta bastão, papeis picados (5 cm x 30 cm).

Publico: Até 45 pessoas.

Procedimento da Técnica: Primeiro é preciso preparar o grupo esclarecendo o objetivo do Brainstorming e algumas regras básicas: (1) Suspensão de julgamento - é proíbido debater ou criticar as idéias apresentadas para não causar inibição, bloqueio de idéias; (2) Quantidade de idéias é muito importante - é mportante que todos falem (mas não é obrigatório); (3) Liberdade Total nas idéias - qualquer idéia, mesmo que pareça ridícula; (4) Mudar e Combinar - em qualquer momento é permitido que uma pessoa apresente uma idéia que seja a combinação de outras já apresentadas, modificadas ou com a inclusão de algo (sem excluir a original); (5) Igualdade de oportunidade - deve-se assegurar que todos tenham a chance da falar.
Segundo deve-se apresentar a definição do problema com clareza, mostrar os pontos mais importantes. Verifica-se se todos compreenderam o problema ou assunto para o qual estão procurando idéias.
Depois, inicia-se a etapa de geração de idéias, seguindo alguns passo: (1) Estabelece-se um tempo máximo de duração da sessão e solicita-se que alguém o controle; (2) Comunica-se a questão a ser pensada sobre o problema ou assunto já esclarecido; (3) Da-se um tempo para que todos pensem nas idéias; (4) Recolhe-se as idéias de forma Estruturada (em ordem cada um diz a sua) ou Não Estruturada (aliatoriamente cada um diz a sua idéia) - quem não tiver uma idéia passa a vez; (4) Todas as idéias devem ser anotadas no Flipchart ou computador com projetor - as idéias devem ser anotadas exatamente como foram ditas sem interpretação; (5) Identificado uma lista longa de idéias, esclarece-se as idéias para que não haja dúvidas entre os participantes e (6) elimina-se as duplicidades, podendo combinar algumas das idéias.
Após a sessão de Brainstorming deve-se reunir as idéias afins e as classificar em temas e categorias; dentro de cada categoria, deve-se combinar as diéias similares e eliminar as duplicidades; selecion-ase as melhores idéias para serem analisadas, melhoradas e aproveitadas; da-se ao grupo um feedback sobre o resultado final do Brainstorming e mostra-se como suas contribuições foram valiosas.

Obs.: Variações podem ser realizadas: as idéias podem ser anotadas em tiras de papeis (5cm x 30cm) anonimamente e depois escritas no flipchart ou computador com projetor; o Brainstorming também pode ser realizado individualmente.

Autor da Técnica: Alex Osborn http://pt.wikipedia.org/wiki/Brainstorming
_______________________________________________________

Comparando Pessoas a Animais

Tempo: de 40 minutos a 1 hora e 30 minutos (dependendo do total de participantes).

Material: Um papel pequeno para cada participante (2cm X 10cm aprox.)

Público: de 15 a 40 pessoas conhecidas.

Procedimento da Vivência: Deixa-se as cadeiras em circulo. Entrega-se um papel pequeno para cada participante e solicita-se que escreva o nome e sobrenome (no caso de pessoas com nomes iguais) e dobre. Coloca-se todos os papeis dentro de um saco, mistura-se e depois solicita-se que cada integrante retire um papel. Caso alguém pegue o próprio nome, troca-se por outro. Deve-se instruí-los que não contem aos colegas o nome retirado.
Depois de todos terem retirado um nome, pede-se que eles identifiquem a pessoa com um animal (o exercício pode também ser feito com uma fruta, instrumento musical ou com os três juntos), comparando as características físicas, de personalidade e até de crenças e valores culturais. Para que eles não esqueçam, pode-se pedir que anotem algumas coisas no próprio papel.
Da-se uns 3 minutos para que pensem e avisa-se que terão que revelar a todos do grupo, então da-se mais 3 minutos. Passado os 6 minutos solicita-se que alguém comece o exercício primeiro dizendo o animal escolhido, suas características e somente depois apresentar a pessoa correspondente. E segue-se com a pessoa que foi apresentada, até que todos tenham participado (como um amigo secreto).
No final, depois que todos revelaram seus animais e pessoas, pode-se deixar que eles falem um pouco sobre os sentimentos vivenciados e então lança-se questões que reflitam sobre:
  • Os sentimentos vivenciados numa avaliação, por quem avalia e por quem é avaliado;
  • As dificuldades de avaliar e dar um feedaback ao avaliado;
  • O que facilita ou prejudica quando existe uma comparação (no caso com animal);
  • Dar feedaback na frente de todo o grupo é positivo ou negativo;
  • Como deve ser feita uma avaliação e o seu feedaback.
Autor da Técnica: Danielle Cristina Ferrarezi Barboza
___________________________________________________________

Leão, Raposas e Ratos (postado em 19/08/2010)

Objetivo: Avaliar e desenvolver liderança, subordinação e atitude vencer-vencer.

Tempo: de 40 a 60 minutos

Material: 1 barra grande de chocolate; 5 bombons iguais e 2 pacotes pequenos de bala de um único sabor (para até 20 participantes, a cada 5 participantes a mais aumentar um bombom e 5 balas).
1 papel pequeno escrito LEÃO, papeis pequenos escritos RAPOSAS de acordo com o número de bombons, e papeis pequenos escritos RATOS conforme o número de participantes menos o número de leão + raposas.

Publico: 20 a 35 participantes

Procedimento da vivência: Antes de iniciar a vivência, o chocolate, bombons e balas devem ser colocados numa mesa e cobrir com uma toalha para que nenhum participante veja. Dobra-se os papeis e coloca-se em um saco para ser retirado um por cada participante. Solicita-se que não mostrem nem comentem o que está escrito no papel. Depois que todos tiverem com seus papeis, descobre-se a toalha da mesa e solicita-se que o LEÃO vá até a mesa e se sirva. Não é dada mais nenhuma instrução até que o Leão termine. O LEÃO pode fazer o que quiser, pegar o quanto quiser dos doces. Pode-se responder qualquer questionamento do LEÃO e demais participantes, desde que não influencie seus comportamentos. Assim que o LEÃO terminar, pergunta-se se está satisfeito. Se ele disser que sim e tiver sobrado alguma coisa na mesa, pede-se que as RAPOSAS levantem-se e se sirvam. O mesmo procedimento que foi realizado com o LEÃO. Assim que as RAPOSAS terminarem pergunta-se se estão satisfeitas e se houver alguma coisa na mesa, solicita-se que os RATOS sirvam-se e sentem-se.
Abre-se para o grupo falar o que acharam do desenrolar, da atitude de cada um em seus respectivos papeis, como se sentiram, porque agiram da forma como agiram. Deve-se pontuar o papel de cada animal na cadeia alimentar e relacionar com a hierarquia dentro das organizações e discutir a atitude vencer-vencer que independe do nível hierarquico que se ocupa.

Questionamentos que podem ser realizados:
- A liderança do LEÃO, qual a melhor atitude a ser tomada.
- O papel intermediário das RAPOSAS diante da hierarquia do LEÃO e da subordinação dos RATOS.
- O papel dos RATOS diante da defesa de seus direitos e do respeito a hierarquia.

Obs.: O resultado do exercício depende muito do comportamento dos participantes. Cabe ao instrutor saber conduzir ao objetivo proposto. Não é possível prever os acontecimentos, mas é necessário estar preparado para tudo. Um exemplo de complexidade do exercício é o LEÃO pegar tudo e o exercício ter que seguir para as discussões. Não deve-se questionar o comportamento individual dos participantes, mas sim dos papeis desempenhados, nem fazer pontuações que possam classificar ou ofender.

Autor da Técnica: Desconhecido
___________________________________________________________

Balas e Pirulitos


Objetivo : Verificar trabalho em equipe, criatividade, raciocínio lógico, liderança.

Tempo : 40 minutos

Material: 80 balas de pelo menos 3 cores diferentes; 40 pirulitos de qualquer cor.

Procedimentos para a Vivência :

Dividir a turma em 4 grupos. Solicitar que cada grupo defina uma pessoa para ficar na banca de Troca (não esclarecer nada sobre o exercício antes da escolha da banca). Os integrantes da banca são responsáveis por receber e efetuar as trocas que o grupo deseja.

Explicar que a banca entregará, conforme decisão da mesma, para cada integrante do grupo 2 balas de cores iguais.

A tarefa dos grupos é sobreviver, conquistando para cada membro vidas que é representado por 1 pirulito

O Grupo que mais vidas tiver são os sobreviventes e vencem o jogo.

Para efetuar a troca:

3 balas de cores diferentes equivalem a 1 pirulito + 1 bala de qualquer cor.

7 balas de qualquer cor equivalem a 3 pirulitos ou vice-versa.

O tempo de duração das rodadas é de 1 minuto.

Ao final da 1ª rodada, a profa. faz o levantamento do placar identificando quem morreu e quem sobreviveu e colhe os sentimentos do grupo.

A seguir, desafia-os a repetir o jogo cumprindo o objetivo de que "todos sobrevivam". Os participantes são avisados de que todos os pirulitos serão recolhidos e o jogo volta ao zero. A profa. pergunta se o grupo quer um tempo para planejamento, sendo que este tempo é de 5 minutos cronometrados.

Após o planejamento, nova etapa é iniciada e o processo se repete.

Ao término da 2ª rodada faz-se a contagem dos sobreviventes e os grupos que não tiverem 1 pirulito por pessoa, terão que escolher um membro para ficar fora da próxima rodada e justificar em publico a escolha. Dá mais 5 minutos para o planejamento e decisões.

Inicia-se a 3ª rodada e ao término faz-se a contagem e novamente os grupos que não tiverem 1 pirulito por pessoa terão que retirar mais um membro do grupo e justificar. Caso queiram trazer de volta o excluído anterior, poderão fazer a troca com outro membro.

Poderão ocorrer até 6 rodadas, se necessário.

Processamento:

Identificar o espírito de equipe, sinergia de grupo, descobrir soluções alternativas para os problemas, somando os esforços individuais.

• Qual foi a primeira estratégia usada pelo grupo?

• Houve necessidade de mudar de estratégia? Por quê?

• Surgiu alguma liderança?

• O grupo estava aberto a novas idéias?

• Foi possível usar da criatividade para resolver o problema?

• Como foram as escolhas de exclusão dos membros?

• Como isso ocorre no dia-a-dia?

• Em que momentos isso ocorre no ambiente de trabalho?

• Que mudanças pessoais você sente necessidade de realizar?

Autor da Técnica: Desconhecido