Seguir por e-mail

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

SER

Procurando conceitos num livro, encontrei uma folha de caderno com um texto que escrevi em 31 de março de 2000, época em que ainda fazia faculdade de Psicologia. Lendo o texto, que nem lembrava ter escrito, percebi que entender as atitudes das pessoas era tão encantador quanto é hoje!!! Vou dividí-lo com vocês agora!!!

"Ser ou não ser, eis a questão", já indagava Shakespeare a tantos séculos atrás.

Por que será que as pessoas encontram dificuldades em SER... amável, fiel, honesta, justa, modesta, querida, virtuosa, gentil, sábia...? Mas, não têm dificuldades em FAZER... maldade, críticas, insultos, besteiras, injustiças, vinganças...?

Será que elas sabem a importância de SER?

Existir por existir é insuportável, mas existir para viver e SER é bom demais!!!

As pessoas muitas vezes não param para pensar no que são para o outro, no que falam, como agem, acabam sendo meros espelhos, refletores de sentimentos. Será que estão acrescentando ou retirando algo de bom na vida do outro?

Como têm se comportado? São o que gostariam de SER? Estão sendo com os outros o que gostariam que eles percebecem que são? Como deveriam SER? Por quê?

"Ser ou não ser, eis a questão"!!!

Temos algo incrível que é a capacidade de transcender, olhar de fora as nossas atitudes e ir além dos nossos limites e ações. Deixar coisas pequenas que não são prioridades, para buscar realizar coisas maiores e melhores, mais importantes, tanto para o nosso crescimento como do outro.

Mas, se todos temos essa capacidade, por que algumas pessoas se deixam envolver por conflitos???

Será que lhes faltam PROATIVIDADE??? Parar para pensar a melhor forma de responder as situações da vida, não permitir que outras pessoas ou ações influenciem suas decisões de forma tão acentuada, assumir o controle da própria vida???

Ah vida... uma caixinha de surpresas???

Talvez, mas diria que as surpresas ocorrem porque na hora das escolhas deixamos de pensar nas consequências que as mesmas podem gerar. Esquecemos que somos os únicos responsáveis pelas nossas ações. Então, diante dos erros, algumas pessoas sem coragem para reconhecê-los, lançam a culpa em cima do outro e deixam de SER para FAZER!

E assim será, a não ser que as pessoas passem a olhar para si mesmas, utilizem a ferramenta da auto-reflexão, encontrem onde está o erro e tenham claro que a mudança é de dentro para fora.

Olhem para as pessoas não para descobrir onde erram, mas para saberem como acertam. E sigam os bons exemplos!!!

E se tornem um SER, que não tem que TER e nem FAZER para ser amado, basta EXISTIR.

Gostaram??? Para finalizar: SER ou não SER é uma questão difícil de ser decidida, porque é preciso muita coragem para assumir o que realmente existe dentro de cada um e nem tudo o que temos dentro de nós é bonito e perfeito como gostaríamos que fosse!!! Mesmo assim, é melhor mostrar suas fraquezas, seus desejos egoístas e suas inseguranças, porque assim É, do que mostrar ousadia, confiança e compaixão, se não é verdade!!!