Seguir por e-mail

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Experiêncas Profissionais de Gretta Souza - 3º Encontro do Grupo de Estudos de POT

Olá!!! Hoje foi o 3º Encontro do Grupo de Estudos de Psicologia Organizacional e do Trabalho. Estavam presentes: Cleverth, Gretta, Lara e Marcos. O assunto discutido foi Experiências Profissionais, com o objetivo de aprender através das experiências alheias.

Como sempre, foi incrível. E quem dividiu suas experiências foi Gretta Souza.

Abaixo seguem trexos do grupo!!! Espero que gostem como nós gostamos!!!

Danielle: Gretta, conte-nos sobre sua experiência profissional. Como foi a sua escolha pela psicologia?

Gretta: Eu nuca tive dúvida que queria Psicologia, desde meus 12 anos, por aí. Fiz magistério para ter psicologia como disciplina. Depois entrei na faculdade, tendo dúvidas apenas nas outras opções que tinha que colocar no vestibular. No primeiro ano de faculdade já fui procurar algo dentro da psicologia a ser feito, como voluntária e batendo de porta em porta, em algumas escolas, consegui um emprego. Pensei em escolas devido ao magistério, achei que poderia conciliar as duas coisas e aprender bastante na área. Porém, foi muito mais que isso. Consegui um estágio extra curricular na área de excepcional. Inclusive, sempre fui atrás de estágios, de trabalho voluntário, sem esperar da faculdade, que só oferecia isto no último ano. Fui voluntária com excepcionais, depois com violência doméstica e depois ainda com hospitalar. Hoje sou voluntária na ABCC de combate ao Cancêr em Bauru há alguns anos. Depois que me formei, fiz especialização em Corporeaneo Reichiana.

Danielle: Você descobriu durante ou depois da faculdade que queria partir para a área clínica?

Gretta: No último ano de faculdade, já tinho feito arte terapia e comecei a fazer terapia corporal, que me encantou!

Danielle: Deve ser muito interessante esta área, pode nos contar melhor?

Gretta: Claro! Neo Reichiana vem do Lowen, depois de Freud, Alexandre Lowen, que trabalha com bioenergética, couraças musculares, bloqueios de energia, através de exercícios corporais e também da fala. Grupos de movimentos corporais, terapia individual.

Danielle: Como foi logo após a sua formação? Você tinha algo certo para trabalhar?

Gretta: Já tinha a Clínica junto com uma amiga que se formou primeiro e sempre acompanhou minhas buscas, meus estágios, etc. De certa forma, sinto que me formei segura pois já tinha tais experiências e nunca me faltou clientes. Estou formada há sete anos.

Danielle: Recordando aqui, estudamos juntas na USC e você acabou trocando de faculdade, foi para UNIP no decorrer do curso. Por quê?

Gretta: Eu sai da USC, porque meu pai e meu irmão, também universitários na época, coseguiram um bom desconto na UNIP. Porém, antes de sair da USC, pesquisei o que tinha em uma faculdade e o que não na outra, e assim vi que hospitalar eu não teria na UNIP, então, antecipei essa disciplina antes de sair da USC. Consegui fazer estágio voluntário no hospital da cidade de Agudos SP e foi maravilhoso. Até hoje o pessoal de lá fala do meu trabalho. Quando a gente sabe o que gosta, fica mais fácil. Depois, que fui para UNIP, minha turma conseguiu, através da minha insistência, confesso, oportunidade de fazer estágio nos hospitais de Bauru. E toda minha experiência anterior foi fundamental aqui. Enquanto cada aluno ficava com um caso, ou uma área, eu estava em vários locais dentro do hospital. Fiz projetos, atendia mais um dia, queria ter toda experiência possível antes da formação e realmente, pedia atenção aos supervisores e professores, é o respaldo que temos enquanto estudantes. Hoje trabalho com uma antiga professora, que me convidou para trabalhar com ela na clínica. Pegamos casos em comum, etc. Isso é gratificante!

Danielle: Logo que você iniciou na clínica já conseguiu clientes? Como foi?

Gretta: Sim! Eu comecei tendo dois clientes, que vieram de uma amiga. Depois outros que foram surgindo dos contatos dos estágios. Fiz cartas de apresentação e levei aos médicos e instituições. E fui atrás de mais clientes, de outros profissionais. Acredito muito no trabalho em equipe. Hoje faço parte de uma clínica com outros profissionais: dentista, fonoaudiólogo, terapeuta familiar e casal e fisioterapeuta. Aprendi muito com isso. Sempre quis trabalhar em equipe, mas com o tempo percebi que nem todos os profissionais da saúde querem isso. Também fiz algumas coisas em RH, poucas coisas.

Danielle: Você escreve para uma revista de adolescentes e faz Orientação Psicológica On-line. Pode contar?

Gretta: Sim. Sou consultora de revista para adolescentes e pais, são três anos. O interessante é que depois da revista todos os dias, TODOS OS DIAS, tem pessoas me procurando por e-mail e foi daí que surgiu a idéia de fazer as orientações on-line. Procurei o Conselho Regional de Psicologia para saber como poderia atuar nessa área, cobrar. Fui informada que teria que ter um site para intermédio. Fiz o site e em fevereiro recebi o credenciamento. Demorou um pouco, devido burocracias, são muito profissionais.

Danielle: Como estão suas orientações hoje? É viável o trabalho on-line?

Gretta: Tem sido bom, depois que participei de uma entrevista no Jornal da Cidade de Bauru e na TV Record, pessoas me procuram de outras cidades, como Garça, Sorocaba, Araçatuba, além de clientes antigos que mudaram de cidade e não querem abandonar. Mas tem que ter paciência, divulgar sempre, ir atrás mesmo. Eu quero trabalhar mais on-line, principalmente, agora que estou prestes a ter um bebê. Enfim.

Gretta também dividiu a importância de ter pulso firme na hora de negociar os honorários com os clientes, nos deixando o seguinte questionamento: Quanto vale a sua saúde psíquica???

Conhecer as experiências de Gretta fez o grupo entender a importância da determinação durante toda a vida, que não se pode esperar a formação para iniciar a batalha por um lugar no mercado de trabalho!

Obrigada, Gretta! Foi demais!!!

E até breve. O próximo encontro de POT é dia 05 de junho de 2010.
beijos...

terça-feira, 22 de junho de 2010

2º Encontro do Grupo de POT

Olá! Dividindo mais uma vez com vocês a maravilha que é fazer parte do Grupo de Estudos de Psicologia Organizacional e do Trabalho.

Neste 2º encontro tivemos a participação de Lara e Priscila, já apresentadas anteriormente, e de um novo integrante: Marcos Anibal, Psicólogo em atuação na área de Gestão de Pessoas na cidade de Goiania, GO.

Alguns dos integrantes não puderam comparecer, mas no próximo encontro estão confirmados presentes.

O assunto discutido foi como as empresas e instituições estão se organizando para os jogos da copa com os seus funcionários. Os integrantes tiveram a tarefa de pesquisar informações e trazer para o grupo.

De acordo com os relatos do grupo, as empresas e instituições estão se organizando conforme o tipo de atividade realizada ou serviço prestado. Algumas dispensam os funcionários nos horários dos jogos, outras disponibilizam tvs e telões para que os jogos sejam assisitidos no próprio trabalho e outras ainda não dispensam nem disponibilizam que os funcionários assistam os jogos, como é o caso dos órgãos de saúde, caso este compreensível.

As discussões surgidas sobre o assunto foram: qual a melhor forma de se organizar pensando na produtividade dos funcionários? Que recursos as organizações poderiam utilizar para tornar o período Copa um momento promotor de motivação?

Todos defenderam a idéia de que as organizações precisam decidir junto com seus funcionários, levando em consideração o tempo despendido, o horário dos jogos, as metas a serem cumpridas, a reposição de horas, o desejo dos funcionários, a necessidade dos serviços para a população, o espaço físico da empresa, entre outros.

Todos concordaram também que é uma boa oportunidade para a empresa integrar seus funcionários, disponibilizando um lugar descontraído para assistirem aos jogos, com aperitivos e bebidas (não-allcóolicas), com o envolvimento de todos os setores, etc.

Conforme o assunto foi sendo discutido o grupo percebeu que alguns outros temas também podem ser pensados e tratados pelas organizações neste período, como é o caso do abuso de bebidas alcóolicas e os assidentes de transito. Pensando nas propagandas de cervejas tão intensas nessa época e utilizando do slogan: SE BEBER NÃO DIRIJA, para a redução dos assidentes, Lara sugeriu que as organizações e sociedades estimulassem a comemoração, famosa PASSIATA à pé e não de carros como é o de costume.

Porém, outra questão surgiu: com a passiata à pé reduziríamos o número de assidentes, mas não reduziríamos as bebidas e outros problemas continuariam, como as brigas de rua e os problemas de saúde ocasionado pela ingestão abusiva do alcóol. O patrulhamento policial intenso e campanhas de sensibilização foram citados como alternativas. Ficando aí, mais um assunto a ser discutido futuramente.

O grupo se mostra a cada encontro mais interessado em dividir experiências e conhecimentos, por isso, ficou determinado que os próximos encontros eu terei um co-mediador, com a função de auxiliar na pesquisa dos temas e na mediação das discussões. Sendo cada semana um co-mediador diferente.

Para o próximo encontro o tema será EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS e o co-mediador não ficou definido.

Beijos e até a próxima!

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Grupo de Estudos de POT - 1º Encontro

Começou no dia 14 de junho de 2010 o Grupo de Estudos de Psicologia Organizacional e do Trabalho mediado por mim pelo http://www.psicorienta.com.br/ . Houve a participação de duas Psicólogas: Gretta Souza de Bauru-SP e Adriana Cataline de Lins-SP; e de três alunos de Psicologia do Unisalesiano de Lins-SP: Cleverth Kawano, Lara Ferreira e Prscila Emílio.

Neste primeiro encontro, o foco era a interação do grupo e o levantamento de assuntos de interesses dos mesmos. Discutimos sobre o Currículo e a Entrevista de Emprego e pude perceber que a maioria das dúvidas são comuns entre as pessoas, como: o que realmente deve conter no currículo? Como devemos responder as perguntas da entrevista? Que roupas usar? etc.

Aqui vai algumas informações importantes discutidas pelo grupo sobre o currículo:

- Estar direcionado para a vaga que você está buscando, não colocar informações que não sejam interessantes para quem vai recrutar.
- Ser objetivo, mas colocar todas as informações necessárias para que o recrutador perceba suas competências mínimas.
- Nos dados pessoais colocar nome e endereço completo e contatos, caso queria colocar um telefone de outra pessoa, por favor, avise a mesma para que quando a empresa entrar em contato ela saiba o que está acontecendo e lhe avisar. Não precisa colocar documentos, somente em casos em que o recrutamento solicite.
- Na formação você deve colocar a última, nivel técnico e pós-graduações. Se você tem o nivel superior, não é necessário colocar o nivel médio ou fundamental. É importante colocar onde estudou e a data de conclusão. Se você for estudante pode colocar o ano em que está ou o ano de conclusão.
- Na experiência profissional colocar o nome da empresa, de preferência o fantasia que é o que todos conhecem, o cargo que ocupou, mês e ano da entrada e saída (se estiver trabalhando coloque a entrada e atual), e as principais atividades desenvolvidas naquela empresa. Deve-se colocar de 3 a 5 últimas empresas.
- Nos cursos e treinamentos é importante colocar somente aqueles que estão relacionados ao cargo buscado e a sua linha de atuação. Coloca-se o título, carga horária e local, a data de realização só é necessária para cursos que necessitem de atualizações constantes.
- Outras habilidades ou competências podem ser colocadas quando você quiser mostrar de forma bem resumida outras experiências e práticas que você não mensionou anteriormente no currículo. Mas, lembre-se "citar resumidamente".
- Outras informações também podem ser incluídas como estado civil, filhos e pequenas explicações, como: disponibilidade de horário e de mudança de endereço.
- Não é necessário assinar e nem incluir foto, só se a empresa recrutadora exigir.

O Grupo acontece todas as segundas das 14 às 15 horas e 30 minutos por intermédio de MSN. No próximo encontro dia 21 iremos discutir sobre como as empresas e instituições estão se organizando com seus funcionários para assistirem aos jogos da Copa e não perderem a produtividade.

Interessados em participar podem entrar em contato pelo site http://www.psicorienta.com.br/ ou pelo e-mail danielle@psicorienta.com.br .

Até a próxima! Abraços!!!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Aproveitando a Copa do Mundo


Olá... Eu não poderia deixar passar em branco este momento Copa do Mundo, onde tudo e todos param ao mesmo tempo com um único propósito: torcer para que os seus vençam!

Provoco aqui uma reflexão sobre como as empresas e os gestores se preparam para o momento Copa do Mundo. Como decidem regras e organizam o trabalho enquanto tudo e todos só querem olhar para uma televisão.

Como conciliar trabalho e paixão mundial (futebol)?

Complicado?

Acredito que não!

Inteligente é a empresa que consegue enxergar este momento como fator motivacional para os seus funcionários e que se organiza para canalisar as energias dos mesmos para a produtividade e a busca de resultados.

Privar o funcionário de participar deste grande evento Copa do Mundo, pode tornar improdutivo e sem resultados os seus dias como até mesmo os futuros dias.

Una o útil ao agradável, crie estratégias e promova aos seus que um simples momento seja o melhor momento. Lembrem-se 2014, a Copa será aqui!!!

Boa Copa a todos!!!

Abraços!!!