Seguir por e-mail

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Empresas também sofrem de Esquizofrenia

A Esquizofrenia é uma doença mental que atinge pessoas de 15 a 25 anos aproximadamente, por múltiplas causas, como: fatores genéticos, mudanças químicas e alterações estruturais do cérebro. A pessoa esquizofrênica começa sentindo dificuldades de concentração, estados de tensão sem uma causa específica, insônia, desinteresse por atividades sociais (chegando ao isolamento); seguindo por um desleixo na aparência e higiene pessoal, mudanças bruscas no visual, com conversas estranhas e irreais, atitudes agressivas fisicamente, podendo tentar suicídio, se considerar Jesus Cristo e acreditar que vê e ouve pessoas do além (mortos).

Apesar de ser uma doença sem cura, quanto mais cedo for o diagnóstico e o uso de medicamentos, menos sintomas irão se desenvolver no esquizofrênico e mais fácil será o seu retorno as rotinas sociais. Como não há um exame específico e os sintomas iniciais se confundem muito com de outras doenças como o Estresse e a Depressão, muitas pessoas acabam demorando em procurar ajuda especializada ou então resiste ao tratamento por não aceitar a doença.

As Empresas Esquizofrênicas, assim são consideradas, por apresentarem muitas características semelhantes a doença. São empresas confusas, que não conseguem distinguir o que realmente são, com pessoas agindo de maneiras diferentes e líderes adotando seus próprios sistemas de gestão.

Os sintomas mais comuns são: a falta de sintonia entre os departamentos; lideranças desajustadas, agindo por conta própria e defendendo suas próprias identidades; as regras são confusas, com muitas injustiças e as pessoas apresentando insatisfação e desmotivação; os processos não possuem padronização e no RH fica muito evidente, ou não existe regras claras ou as que existem não estão em acordo com a cultura da organização.

Diferente da doença, a Esquizofrenia Organizacional não tem idade para aparecer e as causas podem ser genéticas - de geração para geração, muito comum em empresas familiares; biológicas - identidade da organização; e ambientais - imagem interna e externa da empresa.

Para identificar se uma empresa sofre de Esquizofrenia é preciso observar sua rotina e analisar indicadores de desempenho, tais como: rotatividade, reclamação de clientes, retorno de produtos, absenteísmo, pesquisa de clima e de cultura, entre outros. De preferência que o profissional a diagnosticar seja tercerizado, com um olhar não "contaminado" da situação.

O tratamento da Esquizofrenia Organizacional dependerá muito dos sintomas apresentados, mas sem dúvida nenhuma será necessário uma reestruturação da forma de gerir as pessoas, com mais organização nos processos e regras.

Notícia boa é que a Esquizofrenia Organizacional tem cura se diagnosticada antes da empresa entrar em falência!

Obrigada por acompanharem o blog!!! Deixem Comentários!!! Abraços a todos!!!

Obs.: O assunto Esquizofrenia Organizacional foi tema do 10º encontro do grupo de estudos de Psicologia Organizacional e do Trabalho, dia 30/08/2010.

Referência

8 comentários:

  1. Muitas vezes empresas se esquecem quais são seus valores,sua missão e sua visão, pontos essenciais para a saúde dela mesma e acabam se perdendo nos objetivos, causando os males citados no texto. É isso aí... Parabéns pelo texto, muito bom. Twitter Junia_Suelem.

    ResponderExcluir
  2. Interessante conceito. Fico imaginando se uma cura para empresas que atinjam este estágio realmente existam. Acredito que um tratamento "de choque" seja necessário mas que as chances de recuperação sejam pequenas. Talvez ao invés de cura a melhor estratégia seja a prevenção. Será que existem vacinas contra isso? Qual a dosagem correta e, principalmente, quando administrar?

    Um abraço,
    Edu
    http://www.ideiasdefora.com

    ResponderExcluir
  3. contra a "esquizofrenia empresarial" existem muitos remédios disponíveis, na "medicina empresarial". Pena que muitos empresários prefiram se automedicar.

    ResponderExcluir
  4. Olá Danielle,

    Acredito que existem dois extremos para "empresas Esquizofrênicas". Num extremo estão empresas jurássicas que não mudam diante de novas práticas mais modernas de gestão e do uso de tecnologia. Isto faz com que os funcionários "se percam" pois a realidade é a atualização, resolvem fazer pequenas adaptações por conta e vira a brincadeira do telefone sem-fio. Num outro extremo estão as empresas que se dizem de vanguarda e adotam todas as práticas de gestão $, gestão de pessoas, tecnologia e etc. Não conseguem "digerir" tudo isso e deixam os funcionários confusos, parecendo baratas tontas. Estou em acordo com seu texto! Acredito que o papel da liderança é estabelecer a "coluna vertebral" da empresa estabelecendo processos centralizados, porém flevíveis.
    Dando a orientação aos funcionários e monitorando os resultados. Isto é diferente de mandar e supervisionar (sistema engessado) que dá margem a confusão.
    Concluindo, acredito mais em fazer a gestão de um caos, monitorado e "medicado", do que engessar a empresa ou adotar novas práticas sem sentido.

    Roberto
    @minhaempresa

    ResponderExcluir
  5. Diz o ditado popular: Quando a cabeça é ruim o corpo padece. Essencialmente verdadeiro nas organizações empresariais. Nas empresas familiares o mal pode ser agravado.
    Deve o tratamento ser iniciado nos diretores. A terapia sendo eficaz no poder decisório, o mal será em grande parte debelado nas areas operacionais da empresa. Quando colaboradores e auxiliares sentem o comando adequado a missão, objetivos e cultura, renasce o entusiasmo pela empresa.
    A terapia sempre deve ser ministrada por Consultor terapeuta externo.

    ResponderExcluir
  6. Oiiee Prof.
    Tudo bem ?
    andei lendo seu blog, noosssa é bem interesante Dani, espero que goste do nosso tbm. Já está na ativaa lááá, várias Historias do povo da facul ;D
    hahahahaha
    beijo beijo Prof Lindaaaa
    Ana Consorte e Fer Cappellesso

    ResponderExcluir
  7. Amores, estou deixando um link do Texto Trabalho ajuda no tratamento de pessoas com esquizofrenia, confirma estudo. Da minha amiga querida @vanessacaramelo http://migre.me/1ibhM
    Acho que vai interessar a todos!!! Abraços!!!

    ResponderExcluir
  8. Olá Danielle, eu adorei esse post!
    Sou Relações Públicas e este assunto é muito interessante. Adoro trabalhar com imagem institucional e identidade organizacional. Esse termo de Esquizofrenia caiu muito bem em algumas realidades das empresas. E ainda bem que há cura! A organização precisa ser integrada, todos os funcionários precisam de treinamento e saber qual é a missão, a visão e os valores da onde trabalham para que não ocorram todos os desajustes citados, ou seja, a Comunicação Interna precisa ser fortalecida, principalmente para motivar os funcionários!
    Parabéns pelo blog, os assuntos são ótimos!
    Beijos

    @tatianebelini

    ResponderExcluir

Enriqueça o post com a sua opinião e experiência sobre o assunto.