Seguir por e-mail

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Primeiro Emprego #2

Neste Domingo (03/04/2011) a série Meu Primeiro Emprego apresentada por Max Gehringer no Fantástico, trouxe a discussão o comportamento das pessoas quando estão diante da oportunidade tão sonhada do emprego.

Deixar a casa confortável dos pais e enfrentar uma cidade maior, mais movimentada, com menos conforto e com maiores dificuldades de locomoção, são um dos fatores que as pessoas em busca do primeiro emprego podem enfrentar.

Para quem busca uma oportunidade profissional, o trabalho voluntário pode ser uma grande chance de demonstrar competências e abrir as portas para o mercado de trabalho; porém muitos acreditam não ter as mesmas responsabilidades de quando se é contrato. Um engano, o trabalho voluntário tem as mesmas responsabilidades e exige dos profissionais as mesmas competências, com a diferença de não ser remunerado.


Max Gehringer dá uma dica para quem está iniciando um novo emprego: "tente se parecer com a empresa"; tenha como sua, a cultura da organização, vista-se como os demais funcionários, tenha os mesmos comportamentos. Isto gera conforto e maior confiança dos demais.

Uma outra dica apresentada na série é que quanto menos o recém chegado falar com o seu chefe ou ficar resmungando pelos cantos melhor será. Demonstrar iniciativa para ajudar os demais colegas enquanto não recebe outras orientações do desenvolvimento das suas atividades, também parece ser uma ótima ação.

Para quem está começando, uma atitude fundamental é não se negar as atividades nem aos horários proposto pela chefia, escolher o que fazer, não se dispor a trabalhar aos sábados, domingos e feriados, ou achar que uma ou outra atividade não é para o seu cargo, pode ser interpretado como falta de interesse ou até mesmo má vontade. Se aquele emprego realmente é importante, é necessário estar disposto a tudo, com o tempo e confiança dos contratantes, estes detalhes podem ser negociados.

O atraso mais uma vez apareceu como inaceitável, independente se é o início, meio ou o fim de uma carreira; ele mostra indisciplina, falta de administração de tempo e desorganização. Uma vez estabelecido um rótulo destes, dificilmente o profissional conseguirá reverter a percepção dos demais.

Fiquei feliz em ver o Presidente de um laboratório de análises clínicas receber a voluntária pessoalmente e ainda lhe entregar uma carta de boas vindas, demonstrando confiança, respeito e valorizando o ser humano.

A reportagem completa pode ser assistida em na Globo.com . Abraços!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Enriqueça o post com a sua opinião e experiência sobre o assunto.