Seguir por e-mail

terça-feira, 24 de maio de 2011

Líder Dedicado, Integrado, Relacional ou Separado?

Fonte: http://nettoferrero.blogspot.com/
A Liderança é um tema muito discutido nas organizações pela importância que possui no sucesso de qualquer negócio. Ser líder vai além da capacidade de influenciar pessoas, é ter atitudeS e comportamentos adequados diante de cada situação.

Porém, as empresas muitas vezes não proporcionam uma estrutura que permita que o líder faça uma gestão adequada para as situações que aparecem no dia-a-dia. A falta de autonomia é um dos maiores problemas da ineficácia das lideranças.

Agostinho Minicucci (2002) acredita que a eficácia de um líder é vista quando este está diante de uma situação. Não são só as qualidades ou personalidade da pessoa que a determina como líder, mas a sua capacidade de agir e reagir diante dos acontecimentos.

De acordo com esse autor existem quatro estilos de lideranç,a conforme a maneira que elas se direcionam a tarefa a ser realizada e ao relacionamento interpessoal, que são: DEDICADO, INTEGRADO, RELACIONAL e SEPARADO.

"Nenhum dos estilos é eficaz por si só", como coloca o próprio autor, "sua eficácia depende da situação em que ele é usado". Por outro lado, um único estilo pode ser mais ou menos eficaz, dependendo da forma como a pessoa utiliza o estilo. O ideal é que o líder seja flexível diante das situações, utilizando o estilo que melhor for eficaz para aquele momento.

O Estilo DEDICADO seria aquele que se orienta mais para a tarefa do que para os relacionamentos, ou seja, é uma pessoa mais voltada para o trabalho. Este líder dirige o trabalho dos outros de forma resoluta e agressiva; é auto-confiante, ativo, de iniciativa, seguro independente e ambicioso, sendo ineficaz quando é AUTOCRATA, colocando a tarefa acima de tudo, sendo crítico, ameaçador, tomando todas as decisões sozinho, exigindo obediência e suprimindo os conflitos. É eficaz quando é um AUTOCRATA BENEVOLENTE, sendo alguém que confia em si mesmo e em seu modo de fazer as coisas, dicidido, de iniciativa, que avalia com eficácia tanto a qualidade como a quantidade de trabalho, buscando a alta produção mas sem provocar ressentimento pelos subordinados. Este estilo é mais adequado em liderança de produção e vendas, onde a pressão em relação ao resultado é muito bem vinda.

O Estilo INTEGRAL é aquele em que o líder consegue integrar o indivíduo à organização, preferindo a participação dos subordinados na tomada de decisão e responsabilidades distribuídas; se adaptando bem em gerências de alto nível. É ineficaz quando se apresenta INTRANSIGENTE, tentado minimizar o problema imediato ao invez de maximizar a produção ao longo prazo, perdendo o foco da tarefa. É eficaz quando é EXECUTIVO, ou seja, vê sua função como maximizador dos esforços dos demais, tanto nas tarefas de curto como de longo prazo; utiliza o trabalho em equipe para tomada de decisões e encoraja o desempenho das pessoas.

O Estilo RELACIONAL é voltado às outras pessoas, encontrando-se freqüentemente na área de Recursos Humanos. Costuma enfatizar o desenvolvimento profissional, é informal, tranqüilo, comunicativo, simpático, aprovador, acolhedor e amistoso, criando, na maioria das vezes, uma atmosfera de segurança. É ineficaz como MISSIONÁRIO, evitando conflitos, sendo agradável e amável demais, buscando a aceitação de si mesmo, evitando problemas. É eficaz como PROMOTOR, sendo percebido como alguém que inspira confiança, desenvolve ou procurar desenvolver as pessoas.

O Estilo SEPARADO tem baixa orientação para tarefa e para os relacionamentos. Pode ser ineficaz como DESERTOR, demonstrando falta de interesse tanto com a tarefa como com os relacionamentos; sendo apenas um seguidor de regulamentos, desistindo com frequencia dos objetivos e de baixa produtividade; evitando o envolvimento, não assumindo a responsabilidade, de pouca opinião ou de opiniões inúteis; mostrando resistência a mudança. Pode se eficaz no papel de BUROCRATA, em funções de pouca decisão mas que exigem rigidez com leis e normas, que exige confiança e sigilo absoluto, que necessita de muita observação e sistemática na execução.

Como coloca Agostinho Minicucci "em todos estilos, há um estilo único básico e dois complementares, um mais eficaz e outro menos eficaz". Não sendo os estilos categóricos, constinuem-se: DOMINANTE, DE SUSTENTAÇÃO E SOBRE-RECHAÇADOS. O Estilo DOMINANTE seria aquele mais utilizado, o de SUSTENTAÇÃO seria o segundo mais utilizados e os Estilos SOBRE-RECHAÇADOS, aqueles que o líder dificilmente utiliza diante das situações.

Acredito que lendo este texto você consiga identificar qual o seu estilo de liderança ou então, qual é o estilo de liderança do seu superior, mas Agostinho Minicucci elaborou através desta teoria, um teste psicológico para identificar exatamente qual é o estilo de liderança de cada um, chamado: TESTE DE LIDERANÇA SITUACIONAL (TLS), da VETOR EDITORA. Mas, como todos os testes psicológicos, só pode ser aplicado e avaliado por uma PSICÓLOGO registrado no CRP (Conselho Regional de Psicologia).

Um outro ponto que é importante destacar, um líder não nasce com um estilo de liderança, ele desenvolve e conforme as vivências podem ser alterados, por exemplo, um Líder DEDICADO com um bom desenvolvimento em relacionamento interpessoal pode passar a usar mais o estilo INTEGRAL.

Referência:
MINICUCCI, A. Teste de Liderança Situacional (TLS): manual. São Paulo: Vetor, 2002.

2 comentários:

  1. Bom Dia
    Hoje eu exerço essa função na empresa da qual faço parte.
    Realmente o que o autor do artigo argumentou tem toda razão.O lider resumindo seria realmente isso FLEXÍVEL.Ele tem que saber que não existe verdades eternas ainda mais em um ambiente industrial que se altera a cada dia.
    Parabéns pelo artigo ao autor e parabéns pelo site em socializar conhecimento.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Anderson, que bom que gostou do texto e do site. É bom ouvir a opinião de alguém que senti na pele a profissão de líder! Obrigada!

    ResponderExcluir

Enriqueça o post com a sua opinião e experiência sobre o assunto.